quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Testes e Baterias Neuropsicológicos


Hoje em dia, a Neuropsicologia é cada vez mais procurada como um recurso para percebermos melhor o funcionamento cerebral do filho(a), do pai ou da mãe, daquele com quem lidamos diariamente e cada vez mais nos sentimos distantes e incapacitados, por não conseguirmos dar a resposta adequada ou a ajuda necessária.

Realmente, a Neuropsicologia pode ajudá-lo através de várias ferramentas aplicáveis e apropriadas ao pedido de ajuda.

Então do que é que estamos realmente a falar?

Daquilo a que os neuropsicólogos designam por testes neuropsicológicos que não são nada mais do que tarefas especificamente construídas utilizadas para medir uma determinada função psicológica superior e relacioná-la com uma estrutura cerebral ou via particular.

Os testes neuropsicológicos proporcionam:
  • Clarificar e diagnosticar uma perturbação ou doença cerebral;
  • Classificar a severidade clínica para pacientes com perturbações cognitivas ligeiras e severas;
  • Monitorizar a evolução de alguém que está a ser tratado em termos neuropsicológicos;
  • Investigar atrasos no desenvolvimento ou perturbações na aprendizagem em crianças e adolescentes.
Alguns exemplos de situações para a aplicação de testes neuropsicológicos padronizados:
  • Doença de Alzheimer, doença de Parkinson ou outras doenças neurológicas;
  • Crianças e adolescentes expostos a drogas, álcool ou doenças intra-uterinas;
  • Pacientes com lesões cerebrais;
  • Pacientes expostos a químicos e produtos tóxicos;
  • Pacientes toxicodependentes;
  • Vitímas de AVC (acidente vascular cerebral: embolia, trombose,...);
  • Pacientes com demência.
Então, e o que é que os testes neuropsicológicos realmente avaliam?

Avaliam um conjunto de funções psicológicas (nervosas) superiores, tais como:
  • Memória (curto-prazo e longo-prazo);
  • Atenção, Concentração e distratibilidade;
  • Capacidade de aprendizagem e resolução de problemas;
  • Funções de raciocínio lógico e abstracto;
  • Linguagem (capacidade de expressão e compreensão);
  • Organização e coordenação visuo-espacial;
  • Capacidades de planeamento, síntese e organização.
E as baterias neuropsicológicas, o que são?

As baterias neuropsicológicas foram criadas por psicólogos e neuropsicólogos e são simplesmente um conjunto de testes padronizados para responder a questões de referência específica. Uma bateria típica consiste em mais de 12 testes padronizados e disponibiliza dados (quantitativos e qualitativos) muito específicos sobre o funcionamento cerebral do indivíduo.

Exemplo de uma excelente bateria neuropsicológica complexa, com conhecimento pessoal teórico e prático:
  • PIEN (Programa Integrado de Exame Neuropsicológico - Teste Barcelona) de J. Peña-Casanova
Não esquecendo, a importância da avaliação da parte emocional do indivíduo que completa a avaliação neuropsicológica, e aí sem dúvidas...
  • Rorschach (Sistema Integrativo de Rorschach) de John E. Exner, que fornece uma extensa informação sobre as características psicológicas do sujeito.
Diversos testes neuropsicológicos estão descritos neste link http://en.wikipedia.org/wiki/Neuropsychological_tests

Se procura testes neuropsicológicos clique aqui.

Mais informação em:
http://www.bapta.com/np_testing.htm
http://www.hmc.psu.edu/healthinfo/no/neuropsychologicaltesting.htm


Conheça os nossos produtos!

Os Guias Práticos da Psicodigital vão ajudar os profissionais da Psicologia e Neuropsicologia a aumentar a sua produtividade em 50% e melhorar a qualidade dos seus serviços!

Quer ter acesso às nossas ofertas exclusivas?

Insira o seu e-mail e registe-se grátis na nossa lista privada!



Preview | Powered by FeedBlitz


Quer partilhar ideias, dúvidas ou sugestões?

Entre em contacto comigo.


Partilhe!

Promova este artigo!

2 comentários:

Henriqueta Branco disse...

Estou estudando o PIEN Você sabe o site oficial dele
Sou sua conterrânea e apreciei seu blog
Abraço
Henriqueta

lilica disse...

A neuropsicologia não é uma área do saber detentora do seguimento da psicologia. Haja visto que a neurociência vem ganhando forças e um avanço em suas descobertas, por causa da união e colaboração de todas as áreas do conhecimento. Por isso, acho delicado nomearmos as áreas do conhecimento e esquecer que cada uma tem um grande papel contribuidor para o avanço da ciências, mesmo em focos e aspectos diferentes, mas numa mesma intenção.